PUBLICIDADE
IPCA
1,15 Dez.2019
Topo

Trabalhar em fintechs: vantagens, desvantagens e como conseguir uma vaga

César Esperandio

20/12/2019 04h00

Fintechs e startups são famosas por ter ambiente de trabalho descontraído, flexibilidade de horário, plano de carreira acelerado, além de poder trabalhar com o seu pet ao lado.

A economista do Econoweek, Yolanda Fordelone, que também trabalha em uma fintech, conta quais são as vantagens e desvantagens, e como faz para conseguir uma vaga de emprego em uma fintech.

 

Mas o que é uma fintech?

Fintechs são empresas jovens que usam muita tecnologia pra resolver um problema do consumidor. Às vezes são bem nichadas. Nubank, GuiaBolso, Neon e Creditas são todas fintechs.

 

Vantagens de trabalhar em uma fintech

Já começando pela parte boa, as fintechs são conhecidas por terem horário flexível e bastante liberdade no ambiente do trabalho.

Pode chegar mais tarde, sair mais cedo, fazer home office, mas também tem de estar comprometido com as metas e objetivos. Assim, a qualidade de vida é uma primeira vantagem.

Outra vantagem é a grande oportunidade de crescimento rápido. É comum ter programas de avaliação de desempenho a cada seis meses e isso acelera muito a sua evolução dentro da empresa.

A terceira vantagem é trabalhar em um ambiente bem horizontal. É possível ter acesso a todas as áreas e, inclusive, ao CEO. Isso facilita caso queira mudar mudar de setor ou sugerir novas ideias.

 

Desvantagens de trabalhar numa fintech

Como desvantagem, há o fato de fintechs serem negócios que muitas vezes ainda estão achando a maneira de lucrar. Assim, são muito mais instáveis.

A fintech pode estar indo pra um rumo hoje, e depois de seis meses decidir que vai apostar em outra direção. Então, você precisa ser bem adaptável a mudanças. Não ter rotina é o lema.

Dessa natureza de serem novos negócios, nas fintechs também há maiores chances de falência. E essa é outra desvantagem.

Além disso, é comum ouvir que várias vagas não têm salários tão altos dentro das fintechs. Isso dependerá muito da área de atuação e da empresa em questão. Mas as chances de crescimentos são maiores e mais rápidas do que na média das empresas tradicionais.

 

Como entrar em uma fintech?

Muitas fintechs publicam suas vagas numa plataforma chamada Kenoby. Outras, as colocam na Glassdoor, antigo LoveMondays. Sugerimos a você fazer uma lista de empresas, deixar as páginas de vagas salvas nos favoritos do seu navegador e criar uma rotina de acessar toda semana ou a cada 15 dias. Acompanhe também a página das fintechs no Linkedin.

A principal dica para você que conseguiu uma entrevista em uma fintech é mostrar bastante energia, flexibilidade para fazer coisas diferentes, muita vontade de trabalhar ali e bom espírito de colaboração, já que será comum interagir com diferentes áreas.

 

Em qual fintech você gostaria de trabalhar?

Conta aqui nos comentários ou fale com a gente no nosso canal do YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre os Autores

César Esperandio: economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

Yolanda Fordelone: economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

Sobre o Blog

O Econoweek é um blog escrito por dois economistas que querem traduzir a economia, as finanças e o dinheiro.

Econoweek