IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

5 dicas para economizar em viagens nacionais e internacionais

César

03/12/2019 04h00

Se você vai viajar no fim do ano, já deve estar ansioso para descansar, mas ao mesmo tempo aflito com a conta que vai pagar em seguida.

No vídeo acima, a economista do Econoweek, Yolanda Fordelone, conta cinco dicas para conseguir planejar uma viagem de férias sem perder o controle do seu dinheiro.

 

1. Planeje as refeições

Faça as contas de quantas refeições fará durante a sua viagem e pesquise qual é o valor médio de cada refeição do seu destino. Os preços de bares e restaurantes variam bastante em cada cidade, inclusive entre as cidades brasileiras.

Se achar que o valor total vai extrapolar o seu orçamento, opte por refeições mais baratas, ou ainda por cozinhar em alguns dias para poder ir a restaurantes mais bacanas em outros.

É possível usar a cozinha de hostels ou de residências alugadas para temporadas no Airbnb. Essa pode ser uma ótima economia.

 

2. Pesquise o valor de passeios mais caros

Sempre tem aquele passeio mais famoso que você não quer deixar de fazer e que possivelmente gastará um pouquinho mais.

Se esse passeio envolver a contratação de guia, automóvel, ingressos, etc, comece a pesquisar esses valores antes de sua viagem. Assim, fará as contas previamente para não tomar sustos durante as férias.

Outra dica é intercalar os passeios pagos com outros passeios gratuitos ou muito baratos. Assim, a conta não ficará tão pesada.

Tanto pra comida quanto para os passeios, outra dica de ouro é usar o site Price of Travel, que elenca os principais preços pagos por viajantes ao redor do mundo.

 

3. Itens específicos para a sua viagem

Vai precisar comprar algo específico para viagem, como um seguro ou mesmo uma roupa especial de frio, biquíni, ou algo do tipo? Já coloca na conta porque também serão gastos que você não teria caso não fosse viajar.

Além disso, considere comprar itens usados, caso eles sejam muitos específicos.

Yolanda Fordelone, economista do Econoweek, é mãe de um menino de quatro anos, que viaja com ela para fazer trilhas ecológicas. "Na primeira viagem, comprei uma mochila com cadeira pra carregá-lo. Mas eu sabia que seria um item que usaria apenas até meu filho completar os seus cinco anos, e depois teria de vender", comenta Fordelone. "A mochila nova custava R$ 1.600. Comprei uma usada, mas bem conservada, por R$ 500 na OLX", completa.

 

4. Compare preços na internet e barganhe descontos

São dois os principais serviços utilizados em viagens de férias: hospedagem e transporte. Pesquise como funciona o transporte público da cidade de destino e não tome sustos. Há ônibus ou metrôs por perto? Se vai alugar um automóvel, quanto pretende gastar com isso?

Se vai de carro, a dica é utilizar o site Mapeia, que faz as contas de quanto você gastará com transporte, levando em conta combustível e pedágios.

Para a hospedagem, vale a pena pesquisar opções em sites como o Booking.com, sem deixar de entrar em contato com a própria pousada ou hotel para comparar preços.

Caso você contrate a hospedagem pelos sites de busca, o hotel teria de pagar uma taxa de serviço. Então, por que não negociar diretamente com a hospedagem algum desconto?

 

5. Leve em conta uma margem de 10% pra cima

É comum querermos comprar uma lembrancinha para nossos amigos e parentes, além de consumirmos pequenas coisas durante a viagens, como sobremesas ou uma cervejinha no fim da noite.

Então, feitas todas as contas das dicas que demos, leve em conta uma margem de 10% para cima. Assim, você saberá ao certo se a viagem caberá no seu bolso sem surpresas.

 

Para onde será a sua próxima viagem e quais outras dicas você daria para os leitores?

Conta aqui nos comentários ou fale com a gente no nosso canal do YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

Sobre os Autores

César Esperandio: economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

Yolanda Fordelone: economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

Sobre o Blog

O Econoweek é um blog escrito por três economistas que querem traduzir a economia, as finanças e o dinheiro.

Econoweek