IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Black Friday dos investimentos: a minha lista de melhores oportunidades

César

29/11/2019 04h00

Chegou a Black Friday, o período onde tudo fica mais barato e você pode aproveitar para economizar e comprar tudo o que quis o ano inteiro.

No vídeo acima, eu, César Esperandio, economista do Econoweek, comentei qual é o problema da Black Friday e como tudo é pensado para você gastar o máximo possível.

Mas é possível aproveitar a Black Friday de maneira consciente? Sim!

De bônus, vou mostrar uma lista de investimentos que estão mais legais nessa Black Friday.

 

Antes, vamos falar sobre a história por trás desse mega evento de compras e promoções.

 

Como nasceu a Black Friday

A Black Friday nasceu nos Estados Unidos, e acontece no dia seguinte ao Thanksgiving Day, o Dia de Ação de Graças.

O Thanksgiving é celebrado, nos EUA, na quarta quinta-feira de novembro, para agradecer a Deus pelos bons acontecimentos do ano.

Por lá, essa data é equivalente ao nosso Natal, onde todas as famílias se reúnem e trocam presentes.

Por isso, justamente no dia seguinte, a sexta-feira, há a Black Friday, onde baixam os preços de tudo para terminar de vender os produtos das lojas.

 

Black Friday no Brasil

No Brasil, a Black Friday surgiu em 2010, quando teve faturamento ao redor de R$ 3 milhões.

Já no ano seguinte, em 2011, as vendas chegaram a R$ 100 milhões, com um ticket médio de R$ 450,00 por compra.

Em 2018, só nas vendas online, as vendas foram de R$ 2,6 bilhões de reais, com gasto médio de R$ 608,00 por pessoa.

Sim. Estamos falando de bilhões. Não mais de milhões, como era no começo.

Segundo a Ebit/Nielsen, as datas entre e Black Friday e a Cyber Monday, ou seja, entre a sexta-feira e a segunda-feira de promoções, as vendas online chegaram a R$ 3,92 bilhões em 2018.

Você já reparou que os números são expressivos e o período de vendas já extrapolou a Black Friday, chegou à Cyber Monday e hoje vemos promoções para o período da Black November: o mês de novembro inteiro de preços baixos.

Mas qual é o problema de tudo isso?

 

Qual é o problema da Black Friday?

É muito comum querermos comprar novos bens de luxo, muitas vezes caros e desnecessários, se pararmos para pensar.

Campanhas de marketing tentam criar a necessidade de comprarmos coisas que não precisamos de verdade.

Possivelmente, o seu smartphone tem mais capacidade de processamento do que você precisa. Você pagou caro por isso e não deve usar nem 30% dos recursos oferecidos.

Obviamente, você poderia ter coisas adequadas às suas reais necessidades. Isso pode ter sérias consequências às suas finanças. Mas, antes, há outras.

Críticos apontam que entre o período da Black Friday e da Cyber Monday há um enorme aumento de embalagens utilizadas, maior emissão de gases oriundos da queima de combustíveis de todo o transporte dos itens vendidos nessa época, além de uma tentativa de permanente incremento do consumo. Seja lá do que for.

Sim, há um problema de poluição ocasionada por um consumo desenfreado.

Como você percebeu, o varejo e o setor de serviços querem estender esse período para novembro inteiro. Ou até mais.

Apesar de toda a indústria de marketing querer plantar essa ideia, comprar o último smartphone, a blusa da moda, um smartwatch, ou o que quer que seja, não fará de você uma pessoa melhor, mais admirável, ou mesmo mais popular.

A verdade, é que ninguém liga para você.

Experimente vestir um chapéu chamativo, ou qualquer coisa assim, e sair na rua. Quase ninguém vai reparar.

Por que seria diferente só porque agora você possui um produto novo e mais caro?

 

Black Friday e seu dinheiro

Feitas algumas críticas, o que as marcas e os lojistas querem é que você gaste cada vezes mais. Eles não ligam se você vai se endividar para comprar tudo isso.

Esse período da Black Friday, ou mesmo do Natal, podem fazer o seu orçamento sair do controle e fazer você entrar em dívidas.

Como você sabe, o crédito no Brasil é caro e muita gente acaba caindo em uma bola de neve, tendo sérios problemas com dívidas.

Como você percebeu, todo o esquema é montado para você comprar cada vez mais, além da Black Friday.

Hoje, já há a Black November, onde há uma tentativa de fazer você gastar mais no mês de novembro inteiro.

Pode ter certeza que essa tentativa se estende para todo o resto do ano, antes e depois da Black Friday. Quanto mais você gastar, melhor!

Mas isso não é bom para a economia, no final das contas?

 

Black Friday e a economia

Há maior geração de renda e emprego por conta do crescimento da Black Friday? Sim.

Mas de que adianta tudo isso se você continuar gastando desenfreadamente com coisas desnecessárias, com sua conta sempre no vermelho e sem nenhuma reserva financeira que te traga alguma tranquilidade para o dia de amanhã?

 

Você é contra a Black Friday, César?

Eu não sou contra a Black Friday.

Mas eu quero saber a sua opinião. O que você acha disso? Deixe seu comentário para a gente bater um papo a respeito desse tema.

Aliás, eu também acho muito bom aproveitar promoções e economizar para comprar o que estávamos afim de adquirir o ano inteiro.

Inclusive, a  Yolanda Fordelone, economista do Econoweek, fez um vídeo contando as melhores práticas para aproveitar a Black Friday sem cair em fraudes, infelizmente ainda comuns nessa época.

Eu penso que realmente deveríamos aproveitar o período para economizar. E não para gastar ainda mais com coisas que não precisamos realmente.

Dessa maneira, com dicas simples, como fazer uma lista do que pretende comprar e o quanto pretende gastar, no máximo, fará você não sair da Black Friday com peso na consciência e tampouco com problemas com o seu cartão de crédito.

 

Investir em vez de gastar

E se, em vez de apenas comprar coisas novas, você aproveitasse para investir?

Assim, você vai ganhar dinheiro, em vez de perder.

Ainda não é tão grande como o setor varejista, mas a Black Friday dos investimentos vem crescendo, com boas oportunidades.

São desde oportunidades de investimentos que permitem um aporte inicial menor, até cashback e isenção de taxas normalmente aplicadas no resto do ano.

Eu separei as que eu mais gostei:

 

Easynvest

Na Easynvest, planos de previdência privada com aporte inicial reduzido de R$ 5.000 para R$ 1.000 e aportes mensais reduzidos de R$ 300 para R$ 100, além de outras oportunidades.

 

Guide

Nessa corretora de investimentos, um fundo de investimentos da AZ Quest teve a aplicação mínima reduzida de R$ 5.000 para R$ 100.

Além disso, todos os fundos de previdência privada tiveram investimento inicial reduzidos para R$ 1.000, com aportes mensais de R$ 100.

 

Banco Inter

No Banco Inter, agora é possível investir em LCIs com a partir de R$ 100.

 

Magnetis

Até o fim da Black Friday, o robô de investimentos reduziu o investimento mínimo inicial de R$ 1.000 para R$ 99.

 

Órama

Na plataforma digital, fundos de previdência privada com investimentos mínimos iniciais reduzidos para a partir de R$ 100.

 

Banco Original

No banco digital, ao investir em ativos de renda fixa, receberá 2% de cashback, limitado a R$ 20 mil.

Investiu até R$ 1 milhão em uma oportunidade dessas, recebe R$ 20 mil de bônus.

O investimento mínimo inicial é de R$ 1.000, com liquidez a partir de um ano.

 

Toro Investimentos

Na corretora, ao investir a partir de R$ 5 mil na na Letra de Câmbio (LC) da Creditá Financeira, com retorno de 126% do CDI pelo prazo de três anos, receberá na hora R$ 200 de cashback, que poderão, inclusive, ser sacados para comprar alguma coisa durante a Black Friday.

Fizemos as contas e esses R$ 200 representam 4% de retorno na hora, além do rendimento da LC. Uma oportunidade e tanto!

 

Yubb

A ferramenta que compara investimentos oferece até 50% de desconto em cursos como "Como escolher um fundos de ações?", "Reserva de Emergência: como montar e onde investir?", "Como começar a Investir" e "DescomplicAção – Como começar a investir em ações".

Essa é a hora de aprender a investir!

 

Lembrando que há várias outras oportunidades de investimentos legais durante essa Black Friday, mas eu selecionei só as que eu achei que valiam mais a pena.

 

Você já sabe o que vai comprar ou onde vai investir nessa Black Friday?

Conta aqui nos comentários ou fale com a gente no nosso YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

Sobre os Autores

César Esperandio: economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

Yolanda Fordelone: economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

Sobre o Blog

O Econoweek é um blog escrito por três economistas que querem traduzir a economia, as finanças e o dinheiro.

Econoweek